Hearts and Thoughts

Saturday, April 08, 2006

Meu lado Peter Pan

O problema de envelhecer, pra mim, nunca foram as rugas. É fácil lidar com elas. Difícil é administrar as responsabilidades que andam lado a lado com os anos.Já disse mil vezes que odeio ser adulta. Tem gente que deve estar cansada de me ver repetir o mesmo. Sempre mais do mesmo.Na verdade, eu acho que uma parte de mim se esqueceu de crescer. Essa parte vai ser criança pra sempre. Uma parte de mim vai sempre brincar. Comer chocolate e sujar as mãos.Mas apenas uma parte não interessa, porque o que eu quero é ser criança por inteiro. Quero ir atrás da Terra do Nunca e por lá ficar. Eu quero é fugir da rotina.Eu quero me lembrar como é brincar de pique pega, pique gelo, pique fruta e todos os outros piques. Quero soltar pipa, jogar bete, andar de bicicleta, ralar o joelho jogando bola, correr atrás dos sapos debaixo de chuva. Eu quero ir pra escola cobrir pontilhados, pintar o desenho da Turma da Mônica enquanto pergunto insistentemente " Que hora é o recreio, tia?".Hoje, nos meus quase 20 anos, eu continuo perguntando, "Que hora é o MEU recreio? Que hora eu posso largar tudo, jogar pro alto e esquecer o dia de amanhã?"E sabe? Acho que para essas coisas não existem respostas.

Monday, March 06, 2006

Ponha cor, por favor.

...
Lisa descobriu (admitiu?) que pintaram a vida de descrença e desanimo. Cético-escuro talvez.
Sabe quando se percebe que tem gente que não tem jeito mesmo? E pronto, se conforma, esquece de acreditar em mudança. Conforma-se por não querer esmurrar ponta de faca, por não mais querer consertar o "inconsertável".
Ela pensa, "É triste essa tal coisa conformista, né?"
Ela não acredita na simples e pura boa vontade da maioria dos seres falantes. Não acredita em quase ninguém com mais de 32 dentes.
Mundo estranho esse.
Lisa bem que poderia achar o pote no fim do arco-íris. Ela bem que poderia achar a luz no fim do túnel. Ela bem que poderia pular no trampolim sem-fim das estrelas.

Hearts and Thoughts

Letras tortas.
Linhas tortas.
Uma válvula de escape? Quem sabe?
Um simples capricho da madrugada? Sim, é uma possibilidade.
Mas, talvez, apenas uma vontade de vomitar palavras e sentimentos.